quarta-feira, 28 de junho de 2017

Modelo Fera Vegetal

A criatura era bizarra parecia um aglomerado de cipós e folhas, devia ser incapaz de sentir qualquer sensação como dor ou medo, continuava lutando mesmo após ter um ou dois membros arrancados...
–Arthur McCoy, o explorador

Dando sequência a linha de habilidades de modular matéria do meio-dríade, chegamos a criatura gerada pelo talento racial Fera Vegetal, que é um modelo que também foi apresentado pela Revista Tormenta (2003, Revista Tormenta #11, p. 04).
Nosso site já publicou uma versão revisada desse modelo eras atrás, e mantinha o mesmo padrão de modelo tradicional dos monstros de D&D, que elevava o nível da criatura adicionando habilidades e aumentando seu nível de desafio. Porém essa escolha de design, tornava o jogo um tanto trabalhoso e as vezes desequilibrado.
Com a conversão para Pathfinder, o modelo foi totalmente refeito e revisado, usando agora o nível do meio dríade para determinar a quantidade de dados de vida da fera.
Logo abaixo está a versão revisada do modelo dessa criatura, seguindo os padrões do bestiário.
Uma fera vegetal é uma versão monstruosa de um animal, besta mágica ou dragão, feito de material vegetal retorcida. Trata-se de uma criatura sem mente criada para um único propósito de servir ao seu criador, totalmente obediente ao seu mestre, ela é capaz de lutar até ser destruída.

Criando uma Fera Vegetal

Uma fera vegetal é um modelo que pode ser aplicado a qualquer animal, besta mágica ou dragão, referido a partir de agora como criatura base.
Nível de Desafio: igual ao número de dados de vida.
Tendência: Sempre neutra.
Tipo: O tipo da criatura muda para construto. Ela perde qualquer subtipo, incluindo aqueles relacionados a tendência. Ela não ganha o subtipo aprimorado. E usa todas as estatísticas da criatura base.
Classe de Armadura: A armadura natural passa a ser baseada no tamanho da Fera Vegetal:
Tamanho da Fera Vegetal
Bônus de Armadura Natural
Miúdo ou Menor
+1
Pequeno
+2
Médio
+3
Grande
+4
Enorme
+5
Imenso
+8
Colossal
+12

Dados de Vida: Mude todos os Dados de Vida raciais da criatura base para d10. A quantidade de dados de vida da Fera Vegetal equivale à metade do nível do meio-dríade arredondado para baixo (mínimo de 1DV). Além disso, a Fera recebe pontos de vida adicionais baseados em seu tamanho:
Tamanho do Construto
Pontos de Vida Bônus
Miúdo
-
Pequeno
10
Médio
20
Grande
30
Enorme
40
Imenso
60
Colossal
80

Testes de Resistência: Todos os testes de resistência da criatura base são ruins. (Pathfinder: Bestiário, p. 293)
Habilidades Defensivas: As Feras mantém somente as habilidades defensivas extraordinárias da criatura base e ganham todas as imunidades garantidas pelo tipo construto.
Deslocamento: As feras mantem o deslocamento da criatura base, caso seja capaz de voar, a capacidade de manobra decai em um nível.
Ataques: Uma fera mantém todos os ataques com armas naturais da criatura base.
Ataques Especiais: A fera conserva todos os ataques extraordinários da criatura base. Se a criatura possuir algum ataque de sopro, ele recebe as seguintes alterações:
Sopro (Sob): a cada 1d6 de rodadas uma fera vegetal pode cuspir um cone de energia bruta esverdeada. As criaturas atingidas, sofrem dano de 1d6 para cada dois dados de vida da fera. Um teste de reflexos (CD10 + quantidade de dados de vida da Fera Vegetal) reduz o dano à metade. O alcance varia de acordo com o tamanho da criatura:
Tamanho do Construto
Alcance
Miúdo
4,5 m
Pequeno
6 m
Médio
9 m
Grande
12 m
Enorme
15 m
Imenso
18 m
Colossal
21 m

Atributos: Feras Vegetais não possuem valores de Con e Int. O seu valor de Car passa a ser 10.
BBA: O bônus base de ataque de uma fera vegetal é igual à quantidade de dados de vida. (BBA Rápido, Pathfinder: Bestiário, p. 293)
Perícias: Uma fera vegetal não tem graduação em perícias.
Talentos: A fera conserva todos os talentos da criatura base.
Qualidades Especiais: Uma Fera Vegetal perde qualquer habilidade similar a magia ou sobrenatural que a criatura base possui. Ela conserva todas as qualidades extraordinárias.
Fraqueza: Vulnerabilidade a Fogo. (Pathfinder: Bestiário, p. 317)
Idiomas: A criatura perde a capacidade de falar e todos os idiomas que possuía.

Exemplo de Fera Vegetal

Esse é um exemplo de fera vegetal criada partir de um Linnorm do Penhasco (Pathfinder: Bestiário, p. 201), que pode ser invocada por um meio-dríade de 14° nível ou mais.

Fera Vegetal (Linnorm do Penhasco)

ND 7
XP 3.200
Neutro Construto Imenso
Inic +8; Sentidos faro, visão no escuro 36m, visão na penumbra, visão da verdade; Percepção +22;
DEFENSIVA
CA 18 (+4 Des, +8 natural, -4 tamanho),
PV 95 (7d10 + 60);
Fort +2; Ref +6; Von +6;
OFENSIVA
Deslocamento 12 m, voo 30 m (ruim), nado 18 m;
Corpo a Corpo mordida +19 (2d8+12/19-20), 2 garras +19(1d8+12), calda +14(2d6+6 mais atracar);
Espaço 6 m; Alcance 12 m;
Ataques Especiais sopro, constrição (cauda, 2d6+18).
Fraquezas vulnerabilidade a fogo;
ESTATÍSTICAS
For 34 (+12), Des 18 (+4), Con -, Int -, Sab 18 (+4), Car 21 (+5);
BBA +7; BMC +23 (+27 para agarrar); DMC 37 (não pode ser derrubado);
Talentos Ataque Poderoso, Crítico Aprimorado (mordida), Encontrão Aprimorado, Iniciativa Aprimorada, Lutar às Cegas, Reflexos em Combate, Reflexos Rápidos, Trespassar;
HABILIDADES ESPECIAIS
Movimentação Livre (Ext): A fera vegetal está sob o constante efeito de movimentação livre, como a magia de mesmo nome (Pathfinder: Livro Básico, p. 321). Esse efeito não pode ser dissipado.
Visão da Verdade (Ext): A fera vegetal conta como se estivesse permanentemente sobre o efeito da magia visão da verdade. (Pathfinder: Livro Básico, p. 370)
Sopro (Sob): Uma vez a cada 1d6 rodadas como uma ação padrão, a fera vegetal pode expelir um cone de emergia bruta de 18 m, causando 3d6 de dano pôr fogo em todas as criaturas atingidas (Reflexos CD17 reduz o dano à metade).

Arte Original:  Andre VazziosÉrica Awano & Ricardo Riamonde

Nenhum comentário:

Postar um comentário