terça-feira, 13 de junho de 2017

Ressurgimento da História

Essa é a primeira publicação desse blog, e serve como um teste para ajustes na formatação, programação e manutenção desse blog. Mas ainda assim sua existência marca o início de uma coisa muito importante, que ficou encostada em um canto e esquecida durante muito tempo, talvez mais tempo do que eu consiga lembrar.
Durante muito tempo esse blog andou abandonado, as publicações foram parando de vir, os e-mails pararam de ser de ser respondidos. O antigo blog era escrito por uma pessoa só, com postagens quase diárias, além disso, incluía-se a manutenção de todo o código do blog, além das páginas das outras redes sociais. E com os compromissos aumentando e os períodos da faculdade apertando, lentamente fui ficando sobrecarregado até finalmente o blog ficar morto e ser arquivado. E a campanha, morreu.
Escrever e contar histórias era algo que eu fazia com tanta paixão, que praticamente não conseguia viver sem o fato de explorar novos mundos, com tantas possibilidades, arcos e tanta coisa para narrar e escrever. Isso me deixava muito intrigado, motivado e alegre, e por isso, eu fazia com muito afinco.
Escrever a melhor história, a mais divertida aventura. E elaborar algo que deixassem todos os meus melhores amigos perplexos, entusiasmados e que nos mantivesse juntos se divertindo durante anos construindo uma história em conjunto.
Mas os anos foram avançado, a faculdade foi apertando e eu simplesmente parei de continuar as histórias, parei de escrever, imaginar e fazer o que eu fazia com tanta paixão e afinco, e então, todas as histórias lentamente se tornaram apenas lembranças na minha mente e nada mais.
Mas... por obra do acaso, algumas semanas atrás, mexendo no antigo blog, acendeu uma breve fagulha de uma coisa que eu fazia a muito tempo.
O layout atualizado, as publicações aparecerão de semana em semana, grande parte do antigo grupo foi reunido e a campanha, certamente continuará.
E agora eu percebo. 
Velhos hábitos realmente nunca deveriam morrer.

Arte Original: Jesper Ejsing

Nenhum comentário:

Postar um comentário